Não sou tão fã da moda e odeio me sentir escrava dela.

Por Dayane Almeida

photole_mustache1

No fim do ano passado eu fui a uma pizzaria comemorar o aniversário de uma amiga, na ocasião eu estava usando um colar com um pingente de bigode (mustache) desses que está na moda e meu amigo me elogiou e perguntou o que significava e porque todas as mulheres estavam usando, eu não hesitei em responder: não sei exatamente o que significa já lí alguma coisa a respeito em algum blog, mas há, está todo mundo usando eu achei bonitinho e resolvi usar também. Puts! nessa hora eu me senti tão mal e tão fútil a ponto de ficar uma semana pensando no assunto. E, nossa, nesse momento eu descobri que não sou tão fã da moda assim e que odeio me sentir escrava dela.

Eu estava tão bitolada com esse negócio de tendências, Collor Block, Candy Collor, etc. que tinha parado de usar roupas ótimas que tinha no meu armário, só por achar que não se usava mais. Oi?!?! Quem foi que disse que não se usa mais, lógico que foi a indústria da moda para eu gastar mais e mais, ficar pobre e deixá-los ricos.

Isso é bem triste, tenho que confessar que seguir a moda é bem legal, mas nem tudo o que é lançado combina comigo, sem falar que cada vez ficamos mais viciadas em seguir tendências, e isso é sério. Não estou dizendo que deixarei de usar uma coisa ou outra, mas só o que ficar legal e combinar comigo.

Eu sempre gostei de me arrumar, isso é fato, sou uma mulher e como tal tenho obrigação de me cuidar. Então, nada de ser uma mulher dominada pela indústria da beleza. Porque não me importar com quem eu sou e não com o que essa tal “indústria” quer que eu seja?!

Quando eu vou às festas as mulheres estão todas com a mesma cara, o mesmo cabelo e a mesma roupa, seguindo o mesmo padrão de beleza. E eu conheço muitas mulheres que vão para uma balada e se chegar lá não estiver se vestindo igual a maioria das mulheres já bate uma tristeza profunda. E porque não ficar alegre e extremamente feliz por estar diferente, por estar se destacando?!

Bom, é isso, nada de só se sentir valorizada se estiver igual a todas as outras mulheres, (“ah, está todo mundo usando renda eu tenho que achar um vestido de renda, ah vai estar todo mundo usando seda, eu preciso achar um vestido de seda ou ah, tenho certeza que vai estar todo mundo usando paetê, então tenho que usar também”), não galera, vamos parar com isso, mulheres bonitas ficam bem usando qualquer coisa, sabendo usar, lógico, também não vai me colocar qualquer marmota.

Eu nunca tinha sido escrava da moda, mas aí fiquei quase um ano sem emprego, e deu no que deu… affss! Ocupar a mente o máximo possível é de extrema importância para mim! RS

Quero deixar bem claro que não estou aqui criticando quem segue a moda, eu só não quero ser assim, até porque a indústria da beleza vai criar algo novo todos os dias e investir pesado em Marketing para tentar me convencer de que o que eu comprei ontem já não é bom o suficiente para eu usar hoje, né! E eu nem sou rica para isso!  Então seguirei a minha própria moda, eu sei que eu tenho que usar mais cores até a minha psicóloga me falou, isso é fato, mas daí ser escrava da moda já são outros quinhentos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: